sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

SIM A VARGEM DA BENÇÃO







CAROS AMIGOS E AMIGAS, 

GOSTARIA DE LHE PEDIR ENCARECIDAMENTE, QUE VOCÊ POSSA VER ESTE VÍDEO, PARA QUE TOME CIÊNCIA DO POSSÍVEL CRIME AMBIENTAL EM QUE O GDF ESTÁ PRESTES A COMETER NO DISTRITO FEDERAL. 

GOSTARIA DE PEDIR-LHE TAMBÉM, QUE POSSA COMPARTILHAR ESTE VÍDEO PARA OS SEUS AMIGOS, PEDINDO A TODOS QUE VENHAM COMPARTILHAR COM OS SEUS OUTROS AMIGOS. 

A IMPRENSA DO DISTRITO FEDERAL É COMPROMETIDA COM AS VERBAS PUBLICITÁRIAS DO GDF E POR ISSO, NÃO TEM DIVULGADO ESTE GRANDE ESCÂNDALO... 

O GOVERNO DEU 30 DIAS PARA OS CHACAREIROS DESOCUPAREM ESTA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL EM QUE ELES VIVEM HÁ MAIS DE 50 ANOS... 

PORTANTO, CONTO COM SUA AJUDA, SOLIDARIEDADE E AMIZADE. OBRIGADO!

ATENCIOSAMENTE,

ALTAMIRO RAJÃO


PARA MAIORES INFORMAÇÕES SOBRE A VARGEM DA BENÇÃO ACESSE: http://jornalgalodebriga.blogspot.com.br/2014/01/vargem-da-bencao-pede-socorro.html

Mais de 1 milhão de pessoas apoia asilo para Snowden no Brasil


Petição online iniciada por David Miranda já conta com mais de 1 milhão e 80 mil assinaturas. Apesar de significativa, mobilização não deverá gerar efeito prático, avaliam especialistas



Edward Snowden Foto: AFP
Edward Snowden
Foto: AFP

Asilado na Rússia, mas sem garantias de que poderá ficar lá por muito mais tempo, Edward Snowden, o ex-técnico da Agência de Segurança Nacional (NSA), não esconde que gostaria de receber asilo do Brasil. Um pedido oficial não foi feito, mas uma petição online, hospedada na plataforma Avaaz e criada por David Miranda - o companheiro do jornalista Glenn Greewald (autor das primeiras entrevistas com Snowden) -, já recolheu mais de um milhão de assinaturas.
A petição foi criada em novembro do ano passado e a meta é chegar a 1,5 milhão de assinaturas e então levar o documento à presidente Dilma Rousseff e ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. "Se Snowden estivesse no Brasil, é possível que ele pudesse fazer muito mais para ajudar o mundo a entender como a NSA e aliados estão invadindo a privacidade de pessoas no mundo todo, e como podemos nos proteger", diz o texto da petição, assinado por David Miranda.
O governo brasileiro não negou oficialmente o asilo, já que o pedido formal nunca foi feito. Mas, em julho passado, o então ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que o Brasil não acataria o pedido.
Sem efeito prático
Apesar de considerada por especialistas uma importante demonstração pública de apoio e simbolicamente significativa, a coleta das assinaturas não deverá levar a uma mudança de posição do governo brasileiro. "No momento não interessa ao Brasil afrontar politicamente os Estados Unidos", avalia o professor Virgílio Caixeta Arraes, pesquisador do Instituto Brasileiro de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB).



"Por mais louvável que seja, por mais que ele mereça pelo serviço que prestou, acredito que o governo não vai acrescentar ao contencioso que já tem com os Estados Unidos mais uma situação que possa elevar o constrangimento nas relações", concorda o cientista político e professor de relações internacionais Antônio Celso Alves Pereira, da UFRJ.
As eleições gerais que se aproximam também pesam na hora da decisão, avaliam os especialistas. "Ao governo não interessa, em um ano de eleição, que uma disputa política com os EUA possa afetar a economia", pondera Virgílio Caixeta Arraes. Para ele, o cancelamento da viagem de Dilma aos EUA, no ano passado, foi "a medida mais ousada" que o governo poderia tomar.
Para Alves Pereira, não é possível prever como o governo federal poderá reagir ao receber o documento com essa quantidade de assinaturas, mas uma negativa poderia criar algum constrangimento para o governo, dependendo do momento em que isso viesse a ocorrer.
Apoio no Congresso
Para Virgílio Caixeta, o Congresso é uma outra força que poderia adicionar pressão, junto com as assinaturas, para que o governo brasileiro revisse sua posição. Apesar de a prerrogativa para concessão de asilo ser do Executivo, uma ação de parlamentares poderia favorecer Snowden.
No final do ano passado, após uma carta ao povo brasileiro assinada por Snowden ser publicada no jornal Folha de S. Paulo, parlamentares manifestaram a intenção de apoiarem um eventual pedido de asilo.
"A presença do Snowden em nosso país seria ou será um extraordinário facilitador", disse à época o senador Ricardo Ferraço, presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Apesar de defender o asilo, ele disse que o Brasil não poderia condicionar essa concessão a uma eventual troca de informações. "O asilo político é, antes de tudo, um gesto humanitário", completou.
Na época, a senadora Vanessa Grazziotin, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Espionagem, chegou a agendar uma audiência com o ministro da Justiça para tratar do caso, mas o encontro ainda não aconteceu.

FONTE: http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/mais-de-1-milhao-de-pessoas-apoia-asilo-para-snowden-no-brasil,53bcc874c0fd3410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

Isis Valverde sofre acidente de carro e é internada no Rio

Atriz está no CTI do Hospital Barra D'Or, na zona oeste do Rio de Janeiro


Isis Valverde está internada no Hospital Barra D'Or, no Rio de Janeiro, após sofrer um acidente de carro. A assessoria de imprensa da atriz confirmou a informação, mas não deu mais detalhes.
O hospital também confirmou que Isis está internada, mas ainda não há informação sobre o estado de saúde da atriz. De acordo com fontes do iG, Isis está internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI), com uma vértebra fraturada, mas está fora de risco. Os pais da atriz já estão no Rio acompanhando os exames e um boletim médico deverá ser divulgado ao longo da tarde.
Contratada da TV Globo, Isis acaba de protagonizar a minissérie "Amores Roubados".
Seu próximo trabalho deve ser na próxima novela das seis da emissora, "Saber Viver", mas antes Isis deve viajar aos Estados Unidos para estudar cinema e teatro por três meses. De acordo com o colunista Leo Dias, do jornal O Dia, a atriz prepara uma festa de despedida antes da viagem. 
Isis faz aniversário no próximo dia 17 de fevereiro e vai completar 27 anos.

Delson Silva/AgNews
Carro de Isis Valverde no pátio do apartamento de um amigo da atriz
FONTE: http://gente.ig.com.br/2014-01-31/isis-valverde-e-internada-apos-acidente-de-carro-no-rio.html

Aos 31 anos, britânica morre de ataque cardíaco após fumar maconha


Patologista apontou consumo da droga como causa para a intoxicação que culminou com um ataque cardíaco em outubro do ano passado


Gemma morreu de intoxicação depois de fumar meio cigarro de maconha para dormir Foto: Reprodução
Gemma morreu de intoxicação depois de fumar meio cigarro de maconha para dormir
Foto: Reprodução
Uma britânica teria morrido de ataque cardíaco depois de fumar maconha em outubro passado. A informação, divulgada nesta sexta pelo Daily Mail, é baseada na declaração de Kudair Hussein, patologista que a examinou após a morte e cujo depoimento consta no inquérito. Gemma Moss, 31 anos, estava com dificuldades para dormir e decidiu usar a droga para relaxar.
Ela foi encontrada morta em sua cama pela namorada de seu filho mais velho, Tyler, 15 anos. Gemma é a segunda pessoa na Inglaterra cuja morte teria sido provocada pelo uso de maconha. Outro registro, de 2004, aponta que um homem de 36 anos também teria morrido após intoxicação pela droga.

De acordo com o Daily Mail, a mulher fazia uso de maconha, mas havia parado há dois anos, voltando a fumar pouco tempo antes da morte. A família de Gemma diz que ela voltou a usar a droga para ajudar a dormir depois que ficou depressiva, após o término de seu namoro.
Metade do cigarro que Gemma estaria fumando antes de morrer foi encontrado embaixo de seu corpo. 
Um correspondente da Aliança Nacional de Prevenção de Drogas, David Raynes, disse ao jornal que é extremamente raro a morte causada apenas pelo uso de maconha, sendo mais comum por uso de drogas misturadas ao álcool.

FONTE: http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/aos-31-anos-britanica-morre-de-ataque-cardiaco-apos-fumar-maconha,4700854c848e3410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html?ECID=BR_RedeSociais_Facebook_0_Noticia

Comandante-geral da PM garante retomada de policiais às ruas do DF

O coronel garantiu que militares envolvidos na operação tartaruga passarão por procedimentos disciplinares e poderão ser punidos com advertências e até demissão do cargo

De volta às ruas: policiais militares trabalharão massivamente até corporação conseguir restaurar segurança no DF, segundo o comandante-geral da PMDF  (Bruno Peres/CB/D.A Press)
De volta às ruas: policiais militares trabalharão massivamente até corporação conseguir restaurar segurança no DF, segundo o comandante-geral da PMDF


Após uma reunião com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Anderson Carlos de Castro Moura, falou pela primeira vez, nesta sexta-feira (31/1), sobre as medidas que serão tomadas em relação a Operação Tartaruga - instaurada há dois meses no DF. O coronel garantiu que a partir de agora, os policiais militares que estão na liderança da operação vão atuar normalmente.


O coronel garantiu ainda que os militares trabalharão todos os dias até que a corporação restaure a ordem nas ruas do DF. Segundo ele, todos os policiais que participaram da Operação Tartaruga passarão por um procedimento disciplinar, podendo ser punidos com advertências e até mesmo demissão do cargo em que ocupam. De imediato, cinco policiais, identificados como líderes do movimento, foram afastados de suas funções.


O governador Agnelo Queiroz se reuniu hoje com a cúpula de segurança pública, no Quartel do Comando-Geral da Polícia Militar do Distrito Federal para tratar sobre a violência que já deixou 73 mortos apenas no primeiro mês de 2014.

Agnelo chegou ao prédio da corporação acompanhado do secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar. Além do secretário, também participam do encontro os comandantes de todos os batalhões, chefes e diretores da Polícia Militar do DF.

FONTE: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/01/31/interna_cidadesdf,410596/comandante-geral-da-pm-garante-retomada-de-policiais-as-ruas-do-df.shtml

Comércio pede uso da Força Nacional se operação de PMs persistir no DF

Documento elaborado por empresários será entregue ao governador.
Comandante diz que cinco líderes de operação estão sendo investigados.


É preciso dar um basta na violência. O cidadão não pode continuar refém do crime, da irresponsabilidade de alguns policiais e da falta de planejamento do governo"
Trecho de documento elaborado por empresários do setor comercial para ser emtregue ao governador Agnelo Queiroz
Empresários e representantes do setor produtivo divulgaram na manhã desta sexta-feira (31) um manifesto em repúdio à falta de segurança pública no Distrito Federal. Eles destacam o registro de mais de 100 crimes contra bares e restaurantes, 92 em farmácias e cerca de 130 postos de combustível em janeiro.
“É preciso dar um basta na violência. O cidadão não pode continuar refém do crime, da irresponsabilidade de alguns policiais e da falta de planejamento do governo”, diz o documento, que vai ser entregue ao governador Agnelo Queiroz.
Entre as propostas feitas pelo grupo estão a convocação da Força Nacional caso a operação tartaruga persista, implantação de política integrada entre polícias Militar e Civil, ampliação do número de câmeras de vigilância e investimento em iluminação pública, convocação de policiais aprovados em concursos e retirada das ruas de pessoas viciadas em drogas (veja lista ao final deste texto).
Nesta sexta, o comandante-geral da Polícia Miliar, Anderson Moura, anunciou que cinco policiais estão sendo investigados por "inflar os colegas" e que podem ser punidos. Ele afirmou que as punições podem variar entre advertência e expulsão da corporação.
  •  
Governador Agnelo Queiroz se reúne com cúpula de segurança pública do DF (Foto: Raquel Morais/G1 DF)Governador Agnelo Queiroz reunido com cúpula da segurança pública do DF na manhã desta sexta-feira (Foto: Raquel Morais/G1 DF)
“Todos nós sofremos as consequências da falta de ação da PM”, disse. “[Nossa decisão] significa uma reação enérgica do comando. Estaremos na rua com todos os nossos comandantes, nossos oficiais, apoiando os policiais e eventualmente cobrando dos que estão se recusando a fazer.”

Após reunião com a cúpula da segurança pública na manhã desta sexta, o governador Agnelo Queiroz pediu que os comandantes cobrem da tropa o cumprimento de suas obrigações. Ele afirmou que um pequeno grupo, com “interesses políticos”, é que tem insistido na operação da forma como ela vem ocorrendo.

“A vida é a coisa mais importante. A vida é mais importante que a política. Por isso que a PM tem a obrigação de garantir a segurança pública do DF. Nossa PM tem comando”, disse Agnelo. “Não [vamos] admitir em hipótese alguma que meia dúzia de pessoas, com atitudes inclusive covardes, possam colocar em risco a segurança do nosso povo. [Eles] não têm direito de colocar a vida das pessoas em risco."
A população do Distrito Federal não pode confundir toda uma instituição com gestos abomináveis, como a de alguns covardes comemorando a morte de inocentes"
Agnelo Queiroz, governador do DF
“A população do Distrito Federal não pode confundir toda uma instituição com gestos abomináveis, como a de alguns covardes comemorando a morte de inocentes”, completou
Agnelo

Aumento da violência
Na manhã desta quinta-feira (30), o número de homicídios no DF já era 38,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, 68 homicídios haviam sido registrados no DF entre o dia 1º e a manhã desta quinta-feira, 19 a mais que nos 31 dias do mesmo mês de 2013.

Sem reajuste salarial, PMs do DF deflagraram em outubro uma operação tartaruga, para cobrar reajuste salarial, reestruturação da carreira e pagamento de benefícios aos que estão em atividade e reformados. Eles dizem que só encerram o movimento quando o GDF negociar com a categoria.

'Refém do medo'
Na manhã desta quinta, o governador do DF criticou a postura dos PM que aderiram à operação tartaruga. "A Polícia Militar tem todo o direito de reivindicar, o que eles não têm direito é de colocar em risco a vida da população. O GDF vai tomar todas as medidas necessárias para que Brasília não se torne refém do medo", disse Agnelo.

A declaração do governador foi feita durante a inauguração da duplicação de 1,5 quilômetro da DF-451. De acordo com o secretário de Comunicação, André Duda, as recentes notícias de violência, incluindo a morte de um homem em frente ao prédio dele, em Águas Claras, em uma tentativa de assalto, motivaram o comentário.
Leonardo Almeida Monteiro, de 29 anos, voltava da academia e estacionava o carro na porta quando foi abordado por três homens. Testemunhas afirmam que crianças que brincavam no prédio viram a cena e gritaram, para alertá-lo. A vítima tentou correr, mas foi atingida no pescoço (veja vídeo ao lado).

Confira íntegra do documento elaborado pelos empresários
"Manifesto dos setores de comércio, serviços e turismo em repúdio à violência no DF
O setor produtivo do Distrito Federal, representado neste documento por diversos segmentos dos setores do comércio de bens, serviços e turismo, manifesta o seu repúdio à falta de segurança pública no DF. O agravamento da situação requer a adoção de medidas imediatas para preservar a vida dos cidadãos.

Somente neste mês de janeiro foram registrados mais de 100 incidentes criminosos nos setores de bares e restaurantes, 92 em farmácias, 60 em supermercados e cerca de 130 em postos de combustíveis. É preciso dar um basta na violência. A população não pode continuar refém do crime, da irresponsabilidade de alguns policiais e da falta de planejamento do governo.

Diante dessa situação, os empresários da capital do País sugerem ao governador Agnelo Queiroz a implementação das seguintes propostas:

1- Convocação da Forca Nacional de Segurança Pública para dar apoio ao Distrito Federal caso persista a operação tartaruga da Polícia Militar.

2- Policiamento ostensivo nas ruas e alocação dos policiais em suas atividades fins. Hoje, muitos PMs estão deslocados de suas funções ou cedidos a outros órgãos do governo.

3- Implementação de uma ação integrada entre as polícias militar e civil e as demais forças de segurança pública, além de uma cooperação com as forças de segurança dos Estados vizinhos.

4- Ampliação do número de câmeras de vigilância do sistema do próprio do GDF e sua utilização em locais considerados de risco e com maior frequência de assaltos.

5- Assegurar que os conselhos de segurança funcionem de forma efetiva a fim de permitir a adoção de medidas práticas que possam dar segurança à população.

6- Ampliação do investimento em iluminação pública.

7- Realização de uma ação social ampla para retirar das ruas os viciados em drogas e menores em condições degradantes e oferecer tratamento a esses indivíduos.

8- Convocação imediata dos policiais militares e civis que foram aprovados em concursos.

Os empresários do DF acreditam que essas são questões fundamentais para o enfrentamento da criminalidade na capital do País. Assinam este manifesto as seguintes entidades:
Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Distrito Federal (Abrasel-DF)
Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH)
Associação Comercial do DF (ACDF)
Associação das Empresas do Setor de Indústria, Abastecimento, Transporte, Cargas e Inflamáveis do DF (AESIATI-DF)
Associação dos Supermercados de Brasília (Asbra)
Brasília Convention Bureau
Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL)
Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF)
Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal (Sindivarejista-DF)
Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do DF (Sindicombustíveis-DF)
Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do DF (Sincofarma-DF)
Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos (Sincodiv-DF)
Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar)
Sindicato dos Supermercados do Distrito Federal (Sindsuper-DF)"
FONTE:
    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/01/comercio-pede-uso-da-forca-nacional-se-operacao-de-pms-persistir-no-df.htm
    l

Adolescente de 15 anos é morto a tiros no Sol Nascente, em Ceilândia


Hoje, o governador Agnelo se reúne com a cúpula de segurança pública para tratar sobre a violência no Distrito Federal



Um adolescente de 15 anos foi morto a tiros, nesta quinta-feira (30/1), na Chácara 96 do Sol Nascente, em Ceilândia.

A Polícia Civil ainda não tem informações sobre as causas ou suspeitos. A 19ª Delegacia de Polícia (P Norte) investiga o crime.


Apenas no primeiro mês de 2014, o número de mortes violentas chegou a 73, sendo 68 homicídios e cinco latrocínios (roubos com morte) — a média é de 2,4 casos por dia.

Os ataques contra a vida superam em 37,7% a quantidade registrada no mesmo período de 2013.

O governador Agnelo se reúne, na manhã desta sexta-feira (31/1), com a cúpula de segurança pública para discutir a violência no Distrito Federal. 

FONTE: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/01/31/interna_cidadesdf,410579/adolescente-de-15-anos-e-morto-a-tiros-no-sol-nascente-em-ceilandia.shtml


Cartazes espalhados pelo DF cobram promessas do GDF a policiais militares


A categoria divulga nas redes sociais uma espécie de orientações de procedimentos para atrasar os atendimentos e até deixar de atender ocorrências



 (Mirelle Pinheiro/CB/DA Press)



"Porque os policiais e bombeiros irão parar". Essa foi a mensagem que alguns brasilienses viram ao sair de casa na manhã desta sexta-feira (31/1). Cartazes explicando o motivo da Operação Tartaruga foram espalhados em muros e pontos de ônibus da capital. 



 (Mirelle Pinheiro/CB/DA Press)
O folheto assinado pela Associação dos Praças (Aspra) e pelos blogs Espaço Livre PMDF e Jabasta aponta o governador Agnelo Queiroz como principal culpado pela escalada de violência no DF. As entidades justificam que o movimento começou devido à insatisfação da categoria com as condições de trabalho e ressalta que o atual governador não cumpriu 13 promessas da campanha eleitoral. Alguns militares têm divulgado nas redes sociais uma espécie de orientações de procedimentos para atrasar e até deixar de atender ocorrências. 









Na manhã de quinta-feira (30/1), o governador Agnelo Queiroz criticou a mobilização dos militares: “A categoria tem todo o direito de reivindicar. O que não pode é colocar em risco a vida da população. O GDF vai tomar todas as medidas necessárias para que Brasília não se torne refém do medo”. No entanto, o governador não chegou a citar o que, de fato, será feito. 

O Centro de Comunicação Social da Polícia Militar afirmou que não existe paralisação e que a categoria continua trabalhando normalmente patrulhando as ruas da cidade para diminuir a criminalidade.


FONTE: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/01/31/interna_cidadesdf,410557/cartazes-espalhados-pelo-df-cobram-promessas-do-gdf-a-policiais-militares.shtml

Nocaute eleitoral de Agnelo deixa a sucessão em aberto


Por Karla Maranhão, Portal Notibras
O pior cego é aquele que não quer ver, ou precisamente, o que não lê, não ouve e se encrusta diante de fatos, que mesmo na política, são claros e transparentes. Neste sentido, temos que dar crédito às pesquisas, mesmo os que desdenham quando não são favoráveis e torcem o nariz.
 
As pesquisas, obviamente, de institutos sérios, como Ibope, Datafolha, Voxpopuli, e outras, trazem números relevantes, e tendências que implicam em análises sobre o futuro iminente. Algumas destas informações podem traduzir o que está por vir!
 
No cenário nacional, que determinará palanques regionais ou estaduais, alianças e estratégias, tem praticamente definido que a presidente Dilma Rousseff será candidata à reeleição, amparada por índices baixos, se considerar a máquina governamental, diante de aproximadamente 40% do PIB, e de um cenário econômico, diga-se de passagem, foi, senão o tema mais importante, um dos que implicaram na mudança de rumo nas ultimas eleições.
 
Uma pesquisa recente, diz que 62% da população quer mudança, melhores serviços, mais dignidade e 57% consideram que 2014 será um ano pior do que 2013, portanto, um clima de pessimismo.
 
Os dados acima remetem ao novo, a um discurso diferente, incluindo postura ética, de história retilínea, ao mesmo tempo, de resultados.
 
Inequivocamente, no meio da Copa do Mundo, o maior evento global, teremos a volta das manifestações, que derrubaram os números da presidente Dilma ao chão, levando sete meses para recuperar-se, além de alcançar os governantes de todo o país, independentemente de partido.
O mesmo deve ocorrer este ano, mais terão apenas 60 dias para fazer um balanço de seus governos e pedir aos eleitores um voto de confiança, especialmente para aqueles que lutarão para se reeleger, como é o caso do governador Agnelo Queiroz, que nutre índices de aprovação que o coloca como o segundo pior governador do país.
 
O ano tem um calendário “apertado”, janeiro e fevereiro, férias, março carnaval, culturalmente, após, é quando o país começa a produzir de fato, abril teremos novas administrações, os que irão para corrida eleitoral terão que se desincompatibilizar e  abril e maio para alavancar projetos estruturantes, a partir de junho existem impedimentos legais, exatamente por conta das eleições, as manifestações,  principalmente nas cidades-sede, que irão eclodir, paralisando muitas atividades, tudo em meio às convenções e alianças políticas.
Agosto e setembro, campanhas eleitorais, outubro, em vários estados, muito provavelmente no DF e na eleição presidencial, teremos segundo turno, novembro e dezembro, transição, ou seja, planejamento para iniciar 2015.
 
No Distrito Federal, há uma miopia cega quando se afirma que o governador Agnelo é candidato único, sem concorrentes. Ora, se pensarmos que o próprio Agnelo terá que passar pela convenção partidária, embora pareça ter controle sobre o PT local, existem sempre conflitos internos, nas suas várias correntes, e se os números não melhorarem, sempre há o risco, até pelo questionamento dele não ser “petista” histórico ou de carteirinha.
 
O Senador Rodrigo Rollemberg é candidato ao GDF, até porque tem a obrigação de aprontar palanque para o Candidato Eduardo Campos/Marina Silva, diga-se de passagem, na última eleição ganhou da presidente Dilma, no DF, e tem representatividade no segmento evangélico, com seus mais de 600 mil eleitores.
 
O deputado Reguffe se anuncia como pré-candidato ao governo, mesmo que muitos não acreditem, e de fato, deve vir candidato ao senado, tornando-se um nome forte  para apenas uma vaga, tendo como concorrentes prováveis o deputado Magela, e o senador Gim Argello, que está fazendo de tudo para que não tenha adversários, inclusive e especialmente  Reguffe, o motivando a ser candidato ao governo, tendo outro senador, Cristovam Buarque, hoje , indigesto oponente de Agnelo, incentivando seu “aluno”, também a disputar o Buriti.
 
Toninho do PSOL deverá concorrer mais uma vez ao cargo de governador, e temos que considerar que na última eleição teve aproximadamente 15% do eleitorado. Portanto, poderemos ter quatro candidatos, três ou dois do centro esquerda.
 
Rodrigo Rollemberg é uma incógnita, pode arregimentar uma forte chapa, se acertar acordo com Reguffe e Cristovam, com a Rede de Marina Silva e seus seguidores e quem sabe, uma experiente política, hábil, que se coloca como um coringa de peso. É Eliana Pedrosa, do PPS, que também se anunciou como pré-candidata e que pode muito bem fazer uma composição com o PSB, seguindo a aliança nacional, ou com o PSDB, no palanque do candidato à presidência Aécio Neves.
 
Na oposição o PSDB lista como candidatos ao cargo os deputados Luiz Pitiman. Izalci Lucas e Marcio Machado, mas a decisão deve ficar com aquele que tiver melhores condições de buscar alianças que reforcem seu projeto.
 
Neste aspecto, Luiz Estevam tem a marca Roriz sob sua tutela, e deverá negociar os 20% que Roriz detém, especialmente com sua herdeira mais viável, que vem desempenhando um bom trabalho na Câmara Distrital, Liliane Roriz, que pode ocupar um cargo majoritário, talvez com o próprio PSDB.
Roriz, que se anuncia como candidato, dificilmente terá condições físicas e de saúde para suportar um pleito dos mais disputados, além de provável impedimento legal e jurídico.
 
Outro pré-candidato, que as pesquisas apontam entre os primeiros colocados, e que 44% da população aceitam perdoar pelos deslizes, por ser considerado um bom executor/realizador, é José Roberto Arruda, que nas rodas dos mais entendidos na política do DF, atentam que se ele se livrar dos muitos processos judiciais, pode ser o grande adversário oposicionista.
 
Sendo candidato, pode levar a deputada Eliana Pedrosa como sua vice, e não podemos descartar um acordo com Roriz e os vários grupos sobre os quais Arruda tem certo controle e hegemonia. Portanto, no chamado centro direita, poderemos ter quatro, dois ou um único candidato, congregando todas as forças.
Por toda a análise, vai haver concorrentes, e de peso, para enfrentar o governador Agnelo Queiroz, com uma administração desastrosa, e que parece estar “enxugando gelo”.
 
Sua gestão e imagem são de ineficiência, seus secretários e administradores, até pelas alianças que fez, são ruins, com pífios resultados, mesmo nas pastas estratégicas, como saúde, educação, segurança e transportes.
 
Agnelo deveria seguir o exemplo de seu vizinho, Marconi Pirillo e promover uma ampla reforma administrativa, com nomes que pudessem mudar o quadro, especialistas e técnicos, retirando imediatamente aqueles que serão candidatos, dando oxigenação ao seu governo.
 
O tempo é o maior inimigo, especialmente para quem tem o poder, os pré-candidatos podem e devem esperar pelos acontecimentos, até porque o maior concorrente de Agnelo é ele mesmo.
FONTE: http://blogradiocorredor.com.br/4530/Nocaute-eleitoral-de-Agnelo-deixa-a-sucessao-em-aberto/

QUEBRA DE CONFIANÇA

O Governo Agnelo Queiroz, do partido dos trabalhadores, quebrou a relação de confiança de seus subordinados, policiais e bombeiros do Distrito Federal.

E para aqueles que não conhecem a relação na caserna, a confiança é tudo numa relação de comando!


Hipoteticamente, se o Distrito Federal fosse um país parlamentarista, e Agnelo fosse o seu primeiro-ministro, certamente que Agnelo e todo seu gabinete já teriam “caído” há muito tempo, pela “quebra de confiança” de seu povo e de seu parlamento.

Como já dito anteriormente, a Operação Tartaruga é algo intangível, nutrida por esta “quebra de confiança” em relação ao seu comandante maior, que é o governador do Distrito Federal.

O responsável pela Operação Tartaruga, não são os policiais e os bombeiros, mas sim, e exclusivamente, o Governador Agnelo Queiroz e todos os políticos que fizeram parte do seu staff na famosa reunião do teatro dos bancários - pois prometeram e não cumpriram!

Nesta reunião, Agnelo, então candidato ao GDF, prometeu o “céu” aos militares, com o objetivo de conquistar o apoio destes - como o Arruda outrora tinha conseguido em sua campanha vitoriosa ao GDF.

Veja o que Agnelo prometeu inicialmente nesta reunião:

“(...) em defesa de ter uma cidade segura no Distrito Federal. Eu não tenho dúvida, que com os recursos humanos que nós temos, o compromisso de se fazer uma segurança pública de qualidade, de respeitar profundamente estes profissionais, valorizar estes profissionais, que é para atingir este objetivo, que é ter uma cidade segura, que o benefício é de todo o povo (...)”. (VEJA O VÍDEO ABAIXO)

Entretanto, Agnelo já governador do DF, em entrevista ao DFTV recentemente, a respeito da Operação Tartaruga, disse o seguinte:




JORNALISTA PERGUNTA – “(...) como aceitar que policiais militares na capital do país faça uma operação tartaruga"




AGNELO – “Não dá para aceitar, a nossa população não pode aceitar, é o maior salário do Brasil, fiz 16 mil promoções neste período e valorizando, teve uma recuperação salarial que os servidores federais tiveram, exatamente igual, (...)”


Vemos que a retórica mudou -  a do candidato em relação a do governador!

Na primeira fala, Agnelo candidato, ressalta o seguinte:



  1. “defesa de ter uma cidade segura”
  2. “com os recursos humanos que nós temos”
  3. “segurança pública de qualidade”
  4. “respeitar profundamente estes profissionais”
  5. “valorizar estes profissionais”
  6. “ter uma cidade segura”



Desta primeira fala,a do candidato Agnelo, podemos inferir que Agnelo reconhece que para se ter uma SEGURANÇA PÚBLICA DE QUALIDADE É NECESSÁRIO A VALORIZAÇÃO DOS POLICIAIS E BOMBEIROS. 

Desta reunião, no teatro dos bancários, Agnelo lançou “13 promessas” se comprometendo realizá-las em benefício dos Policiais e dos Bombeiros do DF.




Talvez a população do Distrito Federal não saiba, mas Agnelo não cumpriu o prometido!

Mas veja com atenção a fala de Agnelo já como governador: “(...)a nossa população não pode aceitar,(...)”.


Veja que o governador Agnelo transfere a responsabilidade para a população!



- “Mas senhor Agnelo, não foi a população do DF que fez as 13 promessas não cumpridas aos policiais e aos bombeiros. Foi o senhor que as fez, e não as cumpriu. Logo, não é a população do DF que deve ou não aceitar este estado alarmante de violência, construído em seu governo petista, mas é o senhor, que é o governador de um ente da federação, capital federal do Brasil, que sedia todos os órgãos de poder de nosso país, bem como, embaixadas de centenas de países... É o senhor governador Agnelo, é quem deve se responsabilizar pelas promessas não cumpridas aos bombeiros e aos policiais... É o senhor governador que é o responsável pela operação tartaruga... É o senhor governador Agnelo, o responsável pela quebra de confiança com os seus Policiais e seus Bombeiros do DF. É o senhor governador, o responsável por esta alarmante escalada de violência na Capital do País”.


Por esta razão que  a Operação Tartaruga não possui líderes, pois é um sentimento coletivo, ou seja, todos foram lesados, logo, todos são líderes deste sentimento coletivo. Todos os policiais e bombeiros se sentem “usados” pelas falácias do governo Agnelo. Este estado de coisas, que levou a atual  “quebra de confiança”  em função  das “13 promessas” não cumpridas pelo governo petista de Agnelo, é que tem desencadeado este resultado final de sensação de insegurança na população do Distrito Federal.




Portanto, não adianta o GDF patrocinar as mídias locais, para jogar a população do DF contra a Polícia e o Bombeiro, pois este sentimento coletivo irá permanecer, até que sejam cumpridas as “13 promessas” empenhadas por Agnelo!



**********



Tenente Rajão (Altamiro Rajão) – Presidente da Executiva Nacional do partido em formação UDN

--------------------------------------------------------------------------------------------------------



VÍDEO DA REUNIÃO DO TEATRO DOS BANCÁRIOS (O CANDIDATO AGNELO SE COMPROMETE COM AS "13 PROMESSAS") :






VÍDEO DA ENTREVISTA DE AGNELO ( TENTANDO TRANSFERIR A  RESPONSABILIDADE PARA A POPULAÇÃO):

https://www.youtube.com/watch?v=uPfv0m8X744


VÍDEO QUE FALA DA OPERAÇÃO TARTARUGA :






Menores suspeitos de envolvimento com morte em Águas Claras são apreendidos


Menores suspeitos de envolvimento com morte em Águas Claras são apreendidos Segundo a Polícia Civil, um terceiro suspeito - o único maior de idade - também foi identificado e já está sendo procurado. ...

O jovem foi assassinado em frente ao edifício em que morava com a mãe

A Polícia Civil apreendeu dois menores suspeitos de envolvimento no assassinato do jovem Leonardo Almeida, de 29 anos - morto em um assalto diante do prédio em que morava na noite dessa quarta-feira (29/1), em Águas Claras. Segundo a polícia, um dos adolescentes, de 16 anos, admitiu ter dado os tiros. O outro jovem foi apreendido em São Sebastião na noite desta quinta-feira (30/1) e encaminhado para Delegacia da Criança e do Adolescente II (Taguatinga).

A polícia informou que outro suspeito foi identificado e já está sendo procurado. A polícia também encontrou o Palio prata que os suspeitos teriam usado para fugir - o veículo foi abandonado em Samambaia. O crime foi o estopim da sensação de insegurança que afeta moradores do Plano Piloto e de cidades como Águas Claras e Taguatinga. 

A onda de violência - nos primeiros 29 dias de janeiro, foram 63 homicídios - é parcialmente atribuída à Operação Tartaruga da Polícia Militar. Também hoje o governador Agnelo Queiroz se pronunciou sobre a situação na segurança pública e declarou que a PM "não pode colocar a vida da população em risco".

Assassinato na porta de casa
Leonardo foi morto na noite dessa quarta-feira (29/1) após estacionar o carro em frente ao edifício Real Flat, onde morava com a mãe, na Rua 34, perpendicular à Avenida Castanheiras. Ele foi baleado no pescoço e morreu no local.

O jovem foi sepultado por volta das 16h30 de hoje no Cemitério Campo da Esperança, em Brasília. Era grande o clima de revolta entre amigos e parentes do jovem, que organizam, pela internet, manifestação contra a violência em Águas Claras.
Fonte: Jornal Correio Braziliense