segunda-feira, 23 de março de 2015

Pesquisa: 59,7% dos brasileiros são a favor do impeachment de Dilma


Ao menos 59,7% dos brasileiros são a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Os dados são de uma pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgados nesta segunda-feira (23/3).

Os números apontam, ainda, que 66,9% não acreditam na eficácia das medidas do governo contra a crise econômica e se mostram descrentes na política e nos políticos. 

Entre os brasileiros ouvidos no estudo, 90,1% dos que acompanham as denúncias de corrupção na Petrobras acreditam que os nomes citados na lista enviada ao STF estão envolvidos no esquema criminoso.


FONTE: CORREIOWEB

sexta-feira, 20 de março de 2015

Saúde gastou R$ 155,8 mil com aluguel de faqueiro, segundo TCDF

De acordo com relatório da corte, o valor é suficiente para comprar 314 conjuntos similares


Tribunal de Contas do DF/Reprodução


A Secretaria de Saúde gastou R$ 155,8 mil com o aluguel de um faqueiro entre 2012 e 2014, aponta o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) em relatório. Um kit de 152 peças, que poderia, segundo a corte, ter sido comprado por menos de R$ 500 acabou por resultar na cifra após ser locado por 980 dias. O valor é suficiente para comprar 314 conjuntos similares.

O texto aponta que a pasta não demonstrou compatibilidade entre o valor do contrato e a média de mercado. O kit deveria ter sido utilizado em 58 eventos, mas apenas 10 desses tiveram realização comprovada.

De acordo com o TCDF, órgãos públicos têm obrigação de apresentar estudos que comprovem ser mais rentável um aluguel em comparação com a compra de produtos. No relatório, os técnicos afirmam ter encontrado faqueiros com 76 peças semelhantes às do locado por R$ 640 e outro, de 91, por R$ 248.
A reportagem tentou contato com o ex-secretário de Comunicação André Duda e com a ex-secretária de Saúde Marília Coelho Cunha, mas não obteve retorno até o momento da publicação.

FONTE: CORREIOWEB

quinta-feira, 19 de março de 2015

Supremo enviará ao MP o pedido da oposição para investigar Dilma

Ministro Teori Zavascki consultará o Ministério Público antes de decidir se será aberta apuração contra a presidente


O ministro-relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, vai consultar o Ministério Público antes de decidir se abrirá investigação contra a presidente Dilma Rousseff por envolvimento nos desvios da Petrobras. Ele repassou a informação ontem à noite para deputados da oposição que ontem apresentaram novo recurso em favor de uma apuração contra a presidente. Na sexta-feira, o deputado Raul Jungmann (PPS-PE) protocolou o primeiro agravo regimental, mas Zavascki negou na noite de terça-feira, alegando que a peça era apócrifa, porque não estava devidamente assinada.
Ontem, os oposicionistas protocolaram novo recurso. O relator da Lava-Jato disse a seis deputados que ainda não analisou o conteúdo das argumentações, mas que fará isso rapidamente. Zavascki recebeu seis parlamentares em seu gabinete ontem: os líderes do PSDB, Carlos Sampaio (SP); do PPS, Rubens Bueno (PR); do DEM, Mendonça Filho (PE); do Solidariedade, Artur Maia (BA); da Minoria, Bruno Araújo (PSDB-PE); além do próprio Jungmann.

No fim da reunião, o grupo se disse convencido de que é possível investigar Dilma Rousseff, apesar de não haver suspeitas de crimes cometidos durante o mandato presidencial. “Nós entendemos que é líquido e certo que está de acordo com a jurisprudência e com o direito consolidado pelo Supremo Tribunal Federal”, garantiu Jungmann.

Ontem, Carlos Sampaio iniciou a coleta de assinaturas para uma Proposta de Emenda à Constituição que permita que presidentes da República sejam investigados e processados por fatos que ocorreram fora do mandato. E também protocolou um projeto de lei para que sejam extintos os partidos políticos que receberem dinheiro proveniente de corrupção. Na Lava-Jato, delatores afirmaram que o PT recebeu doações oficiais cuja origem estavam em desvios na Petrobras.



FONTE: CORREIOWEB